Autor: Dr. Daniel Panarotto

Tempo de leitura: 10 min.

Hipoglicemia é o termo utilizado para caracterizar a queda da glicose plasmática, ou seja, a redução do açúcar (ou glicose) no sangue.


Neste post, falaremos sobre a hipoglicemia causada por medicamentos utilizados no tratamento do Diabetes. Não serão abordadas causas ou tratamento da hipoglicemia em pacientes não-diabéticos.

O que é Hipoglicemia?

Comecemos pela definição: hipoglicemia é o termo que se usa para caracterizar a queda da glicose plasmática abaixo de 70 mg/dL.


Chamamos de hipoglicemia grave quando um paciente apresenta hipoglicemia e não consegue resolver o problema sozinho, precisando da ajuda de outras pessoas para melhorar (Tabela 1).


Tabela 1: definição de Hipoglicemia

 SintomáticaAssintomáticaGrave
Hipoglicemia (glicose menor de 70 mg/dL)Apresenta sintomasNão apresenta sintomasQuando precisa de ajuda para melhorar


As principais situações que levam à hipoglicemia em pacientes diabéticos são:

  • Medicamentos como as sulfonilureias (glibenclamida e gliclazida*, por exemplo) e, principalmente, as insulinas;
  • Alimentação inadequada ou insuficiente;
  • Exercício físico.

Quais os sintomas de Hipoglicemia?

Os sintomas de hipoglicemia podem ser divididos em duas categorias: os sintomas adrenérgicos e os neuroglicopênicos.


O que é isso?


Os sintomas adrenérgicos são provocados pela liberação de adrenalina pelo sistema nervoso simpático.


Já os sintomas neuroglicopênicos ocorrem por que o cérebro começa a perceber a falta da glicose (Tabela 2).


Em geral, os sintomas adrenérgicos ocorrem quando a glicemia fica abaixo de 70 mg/dL, enquanto que os neuroglicopênicos costumam ocorrer se a glicose ficar abaixo de 50 mg/dL.


Vale lembrar, porém, que a percepção da hipoglicemia varia muito de pessoa para pessoa. Por exemplo, em pessoas com diabetes muito descompensado, que costumam ter glicemias acima de 300 a 400 mg/dL, a diminuição da glicose plasmática para valores normais de 90 a 100 mg/dL já pode provocar os sintomas adrenérgicos.


Por outro lado, pessoas que costumam ter muitas hipoglicemias, especialmente durante a madrugada, e pessoas cuja glicose plasmática costuma ficar muito baixa, podem não sentir sintomas mesmo com glicemias de 60 ou 50 mg/dL.


As duas situações necessitam de intervenção. No primeiro caso (das glicemias muito altas), tem de ser feito um tratamento para diminuição gradativa da glicose plasmática. No segundo, o tratamento deverá ser ajustado para que se evite as hipoglicemias frequentes, especialmente as noturnas.


Tabela 2: sintomas de hipoglicemia.

Adrenérgicos (glicemia < de 70 mg/dL)Neuroglicopênicos (glicemia < de 50 mg/dL)
TremoresTontura
PalidezConfusão mental
Batimentos cardíacos aceleradosVisão turva
Fome súbitaDificuldade de concentração
Suor frioSonolência
AnsiedadeComa

 

Como prevenir a Hipoglicemia?

A hipoglicemia tem prevenção!


O paciente diabético deve sempre seguir o tratamento correto, prescrito pelo seu médico, medindo frequentemente a glicemia capilar.


Além disso, é essencial que mantenha uma alimentação equilibrada e saudável, evitando os excessos.

Como tratar hipoglicemia?

E agora o mais importante: o que fazer quando temos hipoglicemia?


O tratamento da hipoglicemia consiste, basicamente, na ingestão de carboidratos (açúcares), o mais rápido possível.


A maneira ideal de obter carboidratos rapidamente é ingerindo um líquido que contenha açúcar. A quantidade necessária de carboidratos para resolver a hipoglicemia é de 15 a 30 gramas. Alguns exemplos:


– uma colher de sopa rasa de açúcar em um copo d’água;


-150 a 200 ml de refrigerante (não-diet) ou de um suco de frutas natural;


– uma ou duas balas.


UM LEMBRETE IMPORTANTE:


Após ingerir o carboidrato, a glicemia só aumenta depois de 15 minutos. Por isso o correto é ingerir uma dose e esperar 15 min para que os sintomas passem gradativamente.


Se não passarem os sintomas ou se a glicemia não subir, pode-se administrar outra dose.


Com estas orientações, a glicose plasmática subirá para o normal mas não ficará excessivamente elevada. Lembre-se, também, que se você estiver dirigindo, deve estacionar imediatamente. Inúmeros acidentes já foram causados por pessoas em crise de hipoglicemia.


O mesmo vale caos você estiver fazendo alguma atividade física ou trabalhando com algum equipamento de risco. Interrompa a atividade até os sintomas passarem.

O que não fazer na hipoglicemia?

Na minha prática vejo pessoas cometendo muitos erros ao tratarem da hipoglicemia. Estes erros levam à HIPERGLICEMIA REBOTE ou seja, a glicose fica alta algumas horas mais tarde, e aí se estabelece um ciclo vicioso: hipoglicemia-hiperglicemia-hipoglicemia, e assim por diante.


Desse jeito, a pessoa nunca fica com a glicemia controlada.


Portanto, NÃO COMA ALIMENTOS COM GORDURA durante a hipoglicemia.


Alimentos como chocolates, doces e bolos demoram mais para serem absorvidos, e, por isso, demoram mais para resolver o problema, além de causarem grande hiperglicemia rebote.


Hoje temos medicamentos modernos, que diminuem o risco de hipoglicemia.


Converse com seu médico a respeito.


Já fez seu check-up Diabetes, para controle e prevenção das complicações causadas pelo Diabetes? Agende agora mesmo!