pexels-photo-1153369-750x500

Autor: Dr. Daniel Panarotto

Tempo de leitura: 4 min.

As bactérias intestinais podem estar ligadas a dificuldade em perder peso e com o aumento do número de casos de diabetes.


A microbiota intestinal é o conjunto de microrganismos, principalmente bactérias, que habitam no intestino, capaz de produzir substâncias e hormônios que agem em diversos órgãos.


A presença de bactérias comensais, na quantidade adequada, contribui para a manutenção da mucosa intestinal, prevenindo doenças. Estas bactérias competem com as patogênicas por substratos, que não deixam nutrientes para as causadoras de doenças e também produzem ácido lático, enzimas e bacteriocinas que dificultam o crescimento de patógenos.


A microbiota intestinal influencia no funcionamento do sistema imunológico e neurológico, interferem na digestão, alteram o metabolismo e o armazenamento de gordura no organismo, além de prevenir o surgimento de doenças.


A exposição à fatores como o estresse, consumo de álcool, tabagismo, uso de antibióticos e má alimentação podem causar um desequilíbrio na microbiota, onde ocorre aumento das bactérias patogênicas e diminuição das comensais, gerando a disbiose.


Disbiose intestinal


A disbiose está associada ao surgimento de algumas doenças como no trato gastrointestinal, doença inflamatória intestinal, síndrome do intestino irritável, constipação e obesidade.


Ocorre quando há um desequilíbrio na microbiota intestinal e um crescimento intenso de alguns tipos de microrganismos potencialmente maléficos, causando a perda da diversidade e aumento do número de patógenos.


A disbiose acontece quando há uma alteração na camada de muco que forma a barreira intestinal e bactérias penetram até as células da parede do intestino, causando inflamação e destruição.


A disbiose contribui para o aumento da permeabilidade intestinal, favorecendo um tipo de toxina produzida pelas bactérias, chamada LPS (lipossacarídeo) que ao atravessar a parede intestinal, estimula o sistema imunológico, causando a inflamação crônica no organismo.


A microbiota intestinal tem relação com o desenvolvimento do diabetes tipo 1 e 2, doenças cardiovasculares, síndrome metabólica e câncer.


Obesidade e Diabetes


A síndrome metabólica se caracteriza pela resistência à ação da insulina, alterações no metabolismo e inflamação crônica. A obesidade está associada a distúrbios que caracterizam a síndrome metabólica:


– Elevação do índice glicêmico (açúcar no sangue);

– Aumento nos níveis de colesterol ruim (LDL) e triglicérides;

– Redução do colesterol bom (HDL);

– Hipertensão arterial.


Pessoas com síndrome metabólica têm maior risco de desenvolver doenças como diabetes e problemas cardiovasculares.


Mude alguns hábitos


A saúde da microbiota pode ser garantida apenas com a mudança de hábitos:


– Reduza o uso de antibióticos;

– Evite alimentos industrializados, a adição de açúcares e gorduras;

– Invista em alimentos probióticos como vegetais e grãos integrais;

– Invista em alimentos como iogurte, kefir, kombucha e outros fermentados que melhoram a composição e o equilíbrio da microbiota.

Positive SSL