Baixa estatura infantil: esclarecendo o crescimento das crianças

Muitos pacientes são encaminhados para o endocrinologista para avaliação de baixa estatura infantil. Se você tem dúvidas sobre o tema, acesse e descubra!

Na verdade, é raro que a causa da baixa estatura seja um problema hormonal.

Primeiro de tudo, a maioria das crianças, levadas pelos pais com a queixa que sua criança é pequena ou não cresce, não tem baixa estatura propriamente dita. Cabe observar que a palavra “estatura” tem a mesma raiz que “status” e, de fato estatura maior é símbolo de poder, de riqueza, de beleza. Por isso todo o pai deseja que seu filho seja alto. A maioria das crianças com esta queixa é normal, ou seja, não há nenhum problema que impeça o crescimento.

Mas o que é então baixa estatura? Baixa estatura significa que a criança está abaixo da última curva do gráfico de crescimento, que é a curva do percentil 3, considerando crianças da mesma idade. Se uma criança está no percentil 3 isto significa que 97% das crianças da mesma idade são mais altas que ela e 3% são mais baixas. Se uma criança está no percentil 25 significa que 75% das crianças daquela idade são mais altas que ela e que 25% são mais baixas, e assim por diante.

Apesar de não terem baixa estatura, algumas crianças estão muito distantes do que seria previsto segundo a altura dos pais, e também merecem uma avaliação. Existem métodos que utilizamos para calcular a estatura final prevista para uma criança, baseados na estatura dos pais. Vale lembrar que estes métodos não são exatos, mas fornecem uma estimativa útil. Um deles usa a fórmula:

 

ESTATURA ALVO EM MENINOS: (ESTATURA DO PAI) + (ESTATURA DA MÃE +13)

2

ESTATURA ALVO EM MENINAS: (ESTATURA DO PAI – 13) + (ESTATURA DA MÃE)

2

Depois de feito o cálculo, podemos subtrair 10 cm do valor encontrado e encontraremos o valor da estatura correspondente a dois desvios-padrão abaixo do esperado, que é outra maneira de se definir a baixa estatura.

Continuando. Se a criança tem baixa estatura, ela pode ter um problema que a impeça de crescer ou ser saudável. Dentre os problemas de saúde que prejudicam o crescimento estão quaisquer doenças que sejam suficientemente graves para impactar na saúde da criança. Pode ser uma doença cardíaca, renal, respiratória, gastrintestinal ou endocrinológica. A criança também pode ter uma síndrome, que se caracteriza por uma série de achados peculiares, agrupados em um mesmo indivíduo. A maioria das síndromes se acompanha de uma estatura mais baixa que a prevista para a estatura dos pais.

Dentre as doenças endocrinológicas que causam falha no crescimento destacamos o hipotireoidismo, o diabetes descompensado e a deficiência de hormônio do crescimento, que é extremamente rara.

Mas se a criança não tem nada disso por que ela não cresce? Por quê é pequena? Bem a causa pode ser simplesmente a baixa estatura familiar. “A fruta não cai longe do pé” como diz o ditado. Isto simplesmente significa que ela crescerá o que está previsto, segundo a altura dos pais (ver fórmula acima).

A outra possibilidade é que ela tenha um atraso no desenvolvimento corporal. Neste caso a criança tem o corpo e o desenvolvimento ósseo parecido com uma criança mais jovem que ela. Por exemplo, a criança pode ter 11 anos de idade mas o desenvolvimento ósseo pode ser de uma criança de 10 anos. Isso é muito comum e, geralmente é apenas uma variação do normal. Estas crianças tendem a desenvolver a puberdade mais tarde que seus pares, mas tende a parar de crescer mais tarde também. Podemos ver se a pessoa tem esta variação do normal pelo raio X de idade óssea.

Muitas vezes a crianças tem baixa estatura familiar e retardo no desenvolvimento ósseo também, e aparenta ser muito pequena, especialmente se os colegas com quem a comparamos estiverem entrando na puberdade.

Se você tem dúvidas converse com o pediatra do seu filho e pergunte se ele necessita uma avaliação com o endocrinologista.

 

Leia Mais:

Síndrome de Cushing, você sabe o que é?

Dicas para reduzir o consumo de sal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *